Back
Next
Óculos de Sol

Guia Prático

                As informações a seguir têm um caráter básico, sem entrar em demasia no técnico, para uma compreensão fácil aos interessados pelo produto que não atuam no segmento Óptico.

                              MATERIAIS, PARTES, PEÇAS E SUAS DIFERENÇAS:

              Injetado: É o mais econômico da família de materiais pelos motivos a seguir:

·        Molde: é feito de aço, é a parte mais cara porque tem que ser feita por ferramenteiros de precisão para um bom acabamento. Em alguns casos, como óculos de moda, ou seja, que serão vendidos em apenas um verão, este capricho nem sempre existe para baratear a mão de obra. Feito o molde, basicamente é a máquina injetora que trabalha, sendo somente monitorada por um operário. De acordo com a tecnologia da injetora a produção pode ser de milhares de peças (armações para óculos) ao dia.

·        Matéria-prima: também tem seus aspectos econômicos, bem como, o que o fabricante deseja como preço final ele escolhe a qualidade do granulo que poderão ser, de acetato reciclado, nylon, policarbonato, TR 90 e outros semelhantes.

·        Dobradiças: chamamos de charneiras as peças que suportam as duas hastes (e não pernas como falam no popular) nos injetados normalmente são de alpaca que é o metal mais econômico e de pouca durabilidade, ou é feito da própria injeção de “plástico”, já adaptada no molde. Pode não parecer aos olhos do consumidor, mas é um detalhe de custo relevante tanto como seu acabamento. Observe quando puder, e terá melhor clareza.

·        Cores: normalmente o material injetado na sua forma bruta é na cor cristal, que posteriormente é pintado em série por máquinas que tem seus dispositivos em spray. Neste caso também a perda é zero.

·        Lentes: como quase todo o processo visa rapidez e economia nas lentes, em sua maioria, são utilizadas no material de POLICARBONATO, que também segue os padrões de matéria prima e produção econômica. A vantagem é que é resistente a quebra, porém é bem mais fácil de riscar, causando pouca durabilidade.

           Acetato: É o material mais nobre para a confecção de óculos para sol devido a sua complexidade desde sua produção que exige alta tecnologia para extrusar várias camadas de chapa até ficar no formato de pranchas (como ex. base de mesa) ideal para os vários cortes que sofrerão na produção de óculos de sol. Antigamente o material usado era o ZILO, mas como era de pouca flexibilidade e também inflamável, foi desenvolvido o ACETATO, que até hoje não foi superado. Atualmente, 85% de sua produção mundial é feita basicamente em 2 fabricantes na Itália, daí também sua dificuldade de aquisição e estocagem. A grande desvantagem do acetato é sua perda de quase 80% de sua área utilizada (imagine a frente de um par de óculos e todo material de dentro do “olho” jogado fora...).

·        Produção: apesar de já existirem máquinas automáticas que trabalham até com 12 operações (entre fresas e cortes), também exigem várias etapas desde a sua MATRIZ (vários moldes para cada parte) até a produção final, tem a supervisão e a mão do operário.

·        Acabamento: para atingi-lo é necessário 60 dias de procedimentos que envolvem após vários cortes, como polimento, acabamento e tratamento do material, deixando-o “arredondado”, polido e brilhante, sem aparecer as emendas (colagem em alguns modelos), flexível  e de grande durabilidade (mais de 5 anos).

·        Charneiras: feitas em metal nobre, com alta durabilidade e resistência. São ‘rebitadas’ uma a uma, evidentes com máquinas trabalhando em conjunto com o operário.

·        Cores: no acetato as cores já são feitas na origem, e somente são trabalhadas nas fresas (serras de alto giro) para dar os efeitos que foram planejados. Em materiais de mais de uma cor é realmente lindo o efeito na armação.

·        Lentes: geralmente as lentes são de CR39 ou acrílicas, feita na maior fábrica do mundo que é a Sola com matriz na Itália. Sua leveza, condições de durabilidade, facilidade para lavar sem riscar, alta proteção de UVA/UVB é indiscutível (inclusive não tem o problema de trincar como a feita em policarbonato).

              Metal: Todos os procedimentos e etapas do metal se assemelham ao acetato, sendo que, o material em metal possui mais fábricas e fornecedores em todo o mundo e sua perda é muito pequena em comparação com o acetato, visto que, o metal (que é composto por monél, alpaca e ligas de alta qualidade) é enrolado como um carretel de linha, ou seja, só utiliza o necessário.


OBS: A diferença entre armação e óculos é que um não tem a lente e o outro já está pronto com a lente. (ex: armação + lente = óculos)


Em resumo, como um filho nasce em 9 meses, um óculos, em acetato “nasce” em 90 dias, em metal 70 dias e em injetado 45 dias.


A valoração do produto também consiste na elaboração da coleção, materiais utilizados, acabamento, embalagem, quantidade de peças a ser colocada no mercado (ex. de exclusividade / ponto de venda x massificação / custo baixo), importância da grife, estratégia, divulgação de marketing, royalty e outros acessórios que cada empresa é imposta no seu dia a dia...


João Basile
Jaguar Produtos Óticos Ltda.
Informações